Vinho e saúde: será que eles têm ligação?

O vinho é uma bebida feita de uma transformação da uva, consumido moderadamente durante as refeições pode ser útil na prevenção e tratamento de várias doenças.

Mas, como uma bebida alcoólica pode trazer alguns benefícios à nossa saúde?

Imagem-1 

Um pouco da história

O cultivo da videira e a elaboração do vinho está na antiguidade.  As viníferas tiveram origem na Ásia Menor, entre a Pérsia e a Armênia, de onde se propagaram para o Egito.  A certeza que a videira era cultivada no Egito veio das inscrições encontradas nas tumbas egípcias onde comprova que o povo cultivava uns 8 a 10.000 anos antes de nossa era.

Depois do Egito ela se propagou no norte da África, Grécia, Itália, França e Espanha. Por ser inebriante o vinho sempre esteve associados a divindades e envolvido a lendas. De vários costumes o vinho passou a fazer parte da vida do homem.

No Brasil o cultivo se iniciou em 1532 na capitania de São Vicente, introduzido por Martin Afonso de Souza que trouxe as primeiras mudas da Europa.

Imagem-2

Vinho e saúde

Mesmo presente na história desde seus primórdios, além de uma bebida tradicional é ótima para a saúde, claro se ingerido moderadamente. O vinho traz benefícios para o organismo além do efeito antioxidante, agindo beneficamente sobre as paredes das artérias.

Sob o aspecto médico o diferencial do vinho está ligado à moderação do consumo, já que o teor de álcool é menor do que das outras bebidas, assim como pesquisas do Instituto do Coração InCor confirmam.  O vinho consumido moderadamente está associado a redução da mortalidade e das hospitalizações por Doença Arterial Coronária (DAC), pesquisa InCor.

Uva associada ao álcool decorrente da fermentação, tem-se o vinho, recomendado pelos cardiologistas principalmente para as pessoas com idade acima da faixa etária de 30 anos.

O silício e cromo estão na composição do vinho, e têm ação benéfica na limpeza das paredes das artérias. Essas duas substâncias permanecem na corrente sanguínea por apenas 24 horas e para que elas tenham efeito protetor é necessário consumir o vinho diariamente, aí está o segredo da bebida, o ideal é consumirmos duas taças por dia.

 

Mito ou realidade?

Que ele faz bem para a saúde é verdade, já dizer que ele não engorda não é tão fatídico, não é?

A verdade é que o vinho é sim uma bebida alcoólica, e como tal tem seus riscos, mas também tem seus benefícios.

Imagem-4

Escudo natural?

Sim, é isso que ele faz em nosso organismo, com apenas uma taça ele reduz pelo menos 11% o risco de infecção por bactérias que causa uma série de doenças, como ulcera, gastrite entre outras. O vinho é o único que não afeta o sistema imune.

Adeus dores nas pernas e varizes?

Sim, isso é possível com apenas duas taças por dia. Segundo estudos de universidades americanas e suecas, beber moderadamente em idades mais maduras, fortalece sim os ossos, veias e artérias prevenindo diversos problemas no futuro.

Engorda ou não?

Sim, ele faz engordar, mas entre todas as bebidas alcoólicas o vinho é a que menos tem calorias. Além disso ela é a que menos se transforma em gorduras localizadas. E o melhor é que o teor alcoólico do vinho encoraja o corpo a queimar calorias por até 90 minutos depois de beber.

Calmante natural?

Sim, com o vinho é possível ter melhores habilidades, emoção, mobilidade, capacidade de entender e paciência. Mas claro sempre bebendo moderadamente.

Enxergar melhor?

O vinho é capaz de deixar mais lenta a degeneração da retina e ainda previne os riscos da cegueira.

Melhora a memória?

A bebida ajuda a preservar a memória mesmo sendo na terceira idade. O vinho previne o sangue da coagulação e reduz a inflamação dos vasos, ambos estão relacionados ao declinei da memória.

 

Vinho combina com o que?

Imagem-3

Fondue de carne

Para essa combinação é necessário o vinho tinto, mas pode ser um tinto mais encorpado como um Rioja espanhol ou um Malbec argentino.

Queijos

A combinação de vinho e queijo é muito conhecida, mas é necessário combinar a textura e o sabor.

Se o queijo for duro como o parmesão, mais tânico pode ser o vinho. Mas se o queijo for cremoso o vinho deve conter mais acidez.

Massas

O que deve ser combinado de fato quando falamos de massas é o molho. De um modo geral os molhos a base de tomate combinam com vinho Rosé, os molhos com carne são acompanhados pelo vinho vermelho e aqueles feitos com creme combinam com vinho branco.

Carne branca

As carnes brancas assim como o frango grelhadas ou com molho leve combinam com vinho branco seco ou tinto médio. Já aquelas grelhadas com molho forte são melhores com tinto maduro e robusto.

Bacalhau ou frutos do mar

Para essa Páscoa uma receita de bacalhau cai muito bem se harmonizarmos com um belo vinho!

Grelhadas ou com molho leve combinam perfeitamente com vinho branco seco, mas quando estão com molhos fortes é melhor combinar com branco maduro ou Rosé seco.

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *